EPAGRI/CIRAM
EPAGRI CIRAM
Primavera
Início:22/09 Fim:21/12
primavera2.png

Previsão Climática - 3 meses

PREVISÃO CLIMÁTICA TRIMESTRAL PARA SANTA CATARINA
(novembro-dezembro - 2018 e janeiro - 2019)

 Primavera com chuva freqüente em SC!

Precipitação:

O começo de novembro segue com o padrão de outubro, com chuva freqüente e volumes elevados em algumas localidades, sobretudo no Oeste e Meio Oeste. Nos meses de dezembro de 2018 e janeiro de 2019 a chuva estará dentro da média na maior parte do estado e acima no Oeste. A previsão para o trimestre é de chuva acima da média no Oeste e Meio Oeste e na média climatológica na maior parte de Santa Catarina.

 Ressalta-se que eventos de chuva intensa, em curto espaço de tempo, podem ocorrer em qualquer época do ano. Por isso, a Epagri/Ciram recomenda o acompanhamento diário dos boletins e informações disponibilizados no site.

 Climatologia (o que se espera para época do ano):

   

No mês de novembro a média de chuva é de 150 a 170 mm no Oeste e Meio Oeste e de 110 a 130 mm no Planalto, Vale do Itajaí e Litoral. Em dezembro, a média é de 150 a 200 mm no Oeste, Meio Oeste, Planalto Norte, Vale do Itajaí, Litoral Norte e Grande Florianópolis, e entre 100 a 140 mm nas demais regiões. Em janeiro a média é de 130 a 230 mm, mais elevados no Oeste, Grande Florianópolis e Litoral Norte.

Pancadas de chuva com acumulados significativos em curto espaço de tempo devido ao calor da tarde, assim com temporais, com granizo e ventania, são freqüentes em SC durante a primavera. A chuva pode alternar com períodos mais secos de cinco a sete dias consecutivos.

 A chuva no trimestre é causada principalmente pela passagem de frentes frias e Sistemas Convectivos de Mesoescala (SCM), que provocam chuvas mais intensas no Oeste e Meio Oeste. Também causam chuva o processo convectivo (trovoadas da tarde) e a circulação marítima, ventos que sopram do mar trazendo mais umidade para o continente formando nebulosidade baixa com chuva persistente, sobretudo no Litoral e Vale do Itajaí.

 

Ciclones extratropicais nesta época do ano são menos freqüentes, mas quando ocorrem intensificam o vento no litoral e deixam o mar agitado com ressaca e perigo para a navegação no Litoral catarinense.

 Temperatura:

A previsão para o trimestre é de temperatura próximo da média climatológica na maior parte do Estado e acima da média no Oeste. Ondas de calor com três a quatro dias de temperaturas altas são esperadas durante a primavera.

Alguns episódios de nevoeiros associados à nebulosidade baixa, com redução de visibilidade, ocorrem nestes meses. Ressalta-se que na primavera em áreas costeiras o nevoeiro marítimo pode estender-se por mais tempo, da noite até parte da tarde do dia seguinte.

Temperatura da Superfície do Mar (TSM):

No mês de setembro as águas no Pacífico equatorial apresentaram valores de anomalia de TSM entre 1,0 a 1,5°C (Figura 1), indicando aquecimento, porém ainda associada à condição de neutralidade. O vento, em médios e baixos níveis da atmosfera (ventos Alísios), permaneceu sem alteração. Os modelos numéricos de previsão indicam aquecimento das águas do Pacífico Equatorial no fim de 2018 e início de 2019, com evolução lenta para o fenômeno El Niño fraco (em torno de 70% e 75% de probabilidade). Outros padrões da circulação atmosférica indicam condições favoráveis ao aumento de umidade nas camadas de ar sobre a Região Sul do Brasil, no decorrer da primavera.

tsm

Figura 1 - Anomalia da TSM nos oceanos Atlântico e Pacifico, em setembro de 2018.

laboração do boletim: Marilene de Lima (Meteorologista)

Previsão do Fórum Climático: EPAGRI/CIRAM, IFSC e ALERTABLU.


PREVISÃO CLIMÁTICA TRIMESTRAL PARA SANTA CATARINA

(novembro-dezembro - 2018 e janeiro - 2019)

Primavera com chuva freqüente em SC!

Precipitação:

O começo de novembro segue com o padrão de outubro, com chuva freqüente e volumes elevados em algumas localidades, sobretudo no Oeste e Meio Oeste. Nos meses de dezembro de 2018 e janeiro de 2019 a chuva estará dentro da média na maior parte do estado e acima no Oeste. A previsão para o trimestre é de chuva acima da média no Oeste e Meio Oeste e na média climatológica na maior parte de Santa Catarina.

Ressalta-se que eventos de chuva intensa, em curto espaço de tempo, podem ocorrer em qualquer época do ano. Por isso, a Epagri/Ciram recomenda o acompanhamento diário dos boletins e informações disponibilizados no site.

Climatologia (o que se espera para época do ano):

        

No mês de novembro a média de chuva é de 150 a 170 mm no Oeste e Meio Oeste e de 110 a 130 mm no Planalto, Vale do Itajaí e Litoral. Em dezembro, a média é de 150 a 200 mm no Oeste, Meio Oeste, Planalto Norte, Vale do Itajaí, Litoral Norte e Grande Florianópolis, e entre 100 a 140 mm nas demais regiões. Em janeiro a média é de 130 a 230 mm, mais elevados no Oeste, Grande Florianópolis e Litoral Norte.

Pancadas de chuva com acumulados significativos em curto espaço de tempo devido ao calor da tarde, assim com temporais, com granizo e ventania, são freqüentes em SC durante a primavera. A chuva pode alternar com períodos mais secos de cinco a sete dias consecutivos.

A chuva no trimestre é causada principalmente pela passagem de frentes frias e Sistemas Convectivos de Mesoescala (SCM), que provocam chuvas mais intensas no Oeste e Meio Oeste. Também causam chuva o processo convectivo (trovoadas da tarde) e a circulação marítima, ventos que sopram do mar trazendo mais umidade para o continente formando nebulosidade baixa com chuva persistente, sobretudo no Litoral e Vale do Itajaí.

Ciclones extratropicais nesta época do ano são menos freqüentes, mas quando ocorrem intensificam o vento no litoral e deixam o mar agitado com ressaca e perigo para a navegação no Litoral catarinense.

Temperatura:

A previsão para o trimestre é de temperatura próximo da média climatológica na maior parte do Estado e acima da média no Oeste. Ondas de calor com três a quatro dias de temperaturas altas são esperadas durante a primavera.

Alguns episódios de nevoeiros associados à nebulosidade baixa, com redução de visibilidade, ocorrem nestes meses. Ressalta-se que na primavera em áreas costeiras o nevoeiro marítimo pode estender-se por mais tempo, da noite até parte da tarde do dia seguinte.

Temperatura da Superfície do Mar (TSM):

No mês de setembro as águas no Pacífico equatorial apresentaram valores de anomalia de TSM entre 1,0 a 1,5°C (Figura 1), indicando aquecimento, porém ainda associada à condição de neutralidade. O vento, em médios e baixos níveis da atmosfera (ventos Alísios), permaneceu sem alteração. Os modelos numéricos de previsão indicam aquecimento das águas do Pacífico Equatorial no fim de 2018 e início de 2019, com evolução lenta para o fenômeno El Niño fraco (em torno de 70% e 75% de probabilidade). Outros padrões da circulação atmosférica indicam condições favoráveis ao aumento de umidade nas camadas de ar sobre a Região Sul do Brasil, no decorrer da primavera.