EPAGRI/CIRAM
EPAGRI CIRAM
Primavera
Início:22/09 Fim:21/12
primavera1.png

Previsão Climática - 3 meses

PREVISÃO CLIMÁTICA TRIMESTRAL PARA SANTA CATARINA

Outubro, Novembro e Dezembro de 2018

Primavera com temperatura acima da média em SC! 

Precipitação: 
A previsão é de chuva próxima a média climatológica, com maior freqüência na distribuição de chuva em outubro e início de novembro em todas as regiões de SC. 
Ressalta-se que eventos de chuva intensa, em curto espaço de tempo, podem ocorrer em qualquer época do ano. Por isso, a Epagri/Ciram recomenda o acompanhamento diário dos boletins e informações disponibilizados no site. 

Climatologia (o que se espera para época do ano):        
No mês de outubro a média de chuva chega a 210 mm, no Oeste e Meio Oeste, e a 150 mm no Planalto Sul e Norte, e no Litoral Norte. A média de chuva em novembro é de 150 a 170 mm no Oeste e Meio Oeste e de 110 a 130 mm no Planalto, Vale do Itajaí e Litoral. Em dezembro, a média é de 150 a 200 mm no Oeste, Meio Oeste, Planalto Norte, Vale do Itajaí, Litoral Norte e Grande Florianópolis, e entre 100 a 140 mm nas demais regiões.
Na primavera os temporais, com granizo e ventania, ocorrem com mais freqüência em SC. Os totais de chuva são mais elevados em relação aos meses anteriores, com acumulados significativos de chuva em curto espaço de tempo. Mesmo frequente, podem ocorrer períodos de cinco a sete dias sem chuva.
 A chuva no trimestre é causada principalmente pela passagem de frentes frias e Sistemas Convectivos de Mesoescala (SCM), que provocam chuvas mais intensas no Oeste e Meio Oeste. Em outubro a atuação de ciclones extratropicais, próximos ao Litoral Sul do Brasil, ocorrem com freqüência, trazendo perigo às embarcações, com ventos fortes e mar agitado, que muitas vezes resultam em ressaca.

 Temperatura: 
A previsão é de temperatura acima a normal, sendo especialmente os meses de outubro e novembro de temperatura acima da média climatológica, enquanto o mês de dezembro tende a ficar mais próximo da média. Ondas de calor com três a quatro dias de temperaturas altas serão esperadas durante a primavera.
Alguns episódios de nevoeiros associados à nebulosidade baixa, com redução de visibilidade, ocorrem nestes meses. Ressalta-se que na primavera em áreas costeiras o nevoeiro marítimo pode estender-se por mais tempo, da noite até parte da tarde do dia seguinte. 

Temperatura da Superfície do Mar (TSM): 
No mês de agosto as águas no Pacífico equatorial apresentaram valores de anomalia de TSM entre 0,5 a 1,0°C (Figura 1), associada à condição de neutralidade. O vento, em médios e baixos níveis da atmosfera (ventos Alísios), permaneceu fraco.
Os modelos numéricos de previsão indicam neutralidade climática nos meses de outubro e novembro. Entre o fim de 2018 e início de 2019 há previsão de aquecimento das águas do Pacífico Equatorial, com evolução lenta para o fenômeno El Niño fraco (em torno de 70% de probabilidade). Entretanto, salienta-se que outros padrões atmosféricos indicam condições de circulação atmosférica favorável ao aumento de precipitação na Região Sul do Brasil, no decorrer da primavera.

agostoTSM 

Figura 1 - Anomalia da TSM nos oceanos Atlântico e Pacifico, em agosto de 2018.

Elaboração do boletim: Marilene de Lima /Gilsânia Cruz (Meteorologistas)
Previsão do Fórum Climático: EPAGRI/CIRAM, IFSC e NSC.

Junho, Julho e Agosto de 2018

Inverno dentro da normalidade na maior parte de SC

Precipitação:

Para os meses de junho, julho e agosto a previsão é de chuva na média e abaixo, sendo que valores abaixo da média histórica são esperados especialmente para os meses de junho e julho.

Ressalta-se que eventos de chuva intensa, em curto espaço de tempo, podem ocorrer em qualquer época do ano. Por isso, a Epagri/Ciram recomenda o acompanhamento diário dos boletins e informações disponibilizados no site.

Climatologia (o que se espera para época do ano):

        

Os meses de junho e julho são bem parecidos em relação à média climatológica de chuva, variando de 70 a 140 mm do Planalto ao Litoral e, de 110 a 170 mm no Oeste e Meio Oeste, sendo o mês de junho um pouco menos chuvoso em relação a julho. Em agosto a média de chuva sobe um pouco em relação a julho, variando de 110 a 190 mm no Oeste, Meio Oeste e Planalto e de 110 a 150 mm Vale do Itajaí e Litoral.

A chuva é preferencialmente causada pela influência de frentes frias, sistemas de baixa pressão e vórtices ciclônicos. Também é a época de atuação frequente dos ciclones extratropicais próximos ao Litoral, que oferecem perigo às embarcações, com ventos fortes e mar agitado, que muitas vezes resultam em ressaca.

Temperatura:

No trimestre a previsão é de temperatura próxima da média do Oeste ao Planalto e acima da média climatológica no Litoral e Vale do Itajaí. Ressalta-se que são esperadas pelo menos duas a três ondas de frio durante o inverno, com formação de geada ampla e temperaturas negativas, sobretudo nos meses de junho e julho. As condições poderão ser favoráveis a episódios de neve principalmente no Planalto Sul.

No inverno de 2018 há maior probabilidade de ocorrência de dias com grande amplitude térmica diária (diferença de temperatura mínima e máxima) devido à atuação de massas de ar seco. Nevoeiros associados à nebulosidade baixa, com redução de visibilidade, também são esperados para as noites, madrugadas e amanhecer dessa estação.

Temperatura da Superfície do Mar (TSM):

No mês de abril as águas no Pacífico equatorial apresentaram valores de anomalia de TSM em torno de -0,5°C (Figura 1), associada a La Niña muito fraca. O vento, em baixos níveis da atmosfera (ventos Alísios), permaneceu fraco, mantendo o enfraquecimento do fenômeno. No período de 13 a 19/05 foram registrados valores de anomalia próximos de -1,0°C a -0,5°C na região do El Ninho 1 + 2, próximo da costa do Peru (Figura 2), e valores próximos a da média ao longo do Pacífico equatorial. Os modelos numéricos de previsão indicam neutralidade durante o próximo trimestre.

 

Figura 1 - Anomalia da TSM nos oceanos Atlântico e Pacifico, em abril de 2018.

     Figura 2 - Anomalia da TSM nos dias 13 a 19 de maio de 2018.

Elaboração do boletim: Gilsânia Cruz / Marilene de Lima (Meteorologistas)

Previsão do Fórum Climático: EPAGRI/CIRAM, IFSC, AGF e RIC TV.