Primavera
Início:22/09 Fim:21/12
primavera1.png
EPAGRI/CIRAM
EPAGRI CIRAM FAPESC

Justificativa

O Estado de Santa Catarina tem sido severamente impactado pelos desastres naturais nas ultimas décadas, resultando em enormes prejuízos socioeconômicos, assim como num elevado número de vítimas fatais.

A maioria dos desastres está associada às instabilidades severas do tempo e do clima que causam inundações, escorregamentos, vendavais, tornados, granizos e os períodos de déficits hídricos, caracterizados pela estiagem.

Estas alterações do tempo e clima colocam em risco a população e importantes atividades como a agricultura, pecuária, abastecimento de água e geração de energia. A agricultura tem sido uma das atividades mais prejudicadas na ultima década. Uma estiagem prolongada em 2004 provocou a perda de aproximadamente R$ 500 milhões nas safras de Santa Catarina, culminando na decretação de Situação de Emergência em 198 dos 293 municípios catarinenses.

Os sistemas de monitoramento são imprescindíveis para o conhecimento dos padrões de variabilidade espaço temporais de tempo e do clima e no desenvolvimento de modelos preditivos. São também ferramentas essenciais para a emissão de avisos e alertas climáticos e ambientais.

Para a ampliação e modernização dos sistemas de monitoramento de tempo e clima em Santa Catarina é necessária a aquisição e manutenção de sistemas de observação remota, como os radares e satélites meteorológicos, além da reestruturação e manutenção da rede de estações meteo-oceanográficas,

Estes sistemas de observação remota produzem imagens sinóticas com uma elevada frequência temporal (15 a 30 minutos). Permitem o monitoramento de grandes áreas a custos reduzidos, possibilitando a identificação antecipada dos sistemas meteorológicos que provocam eventos extremos.
O Ciram é o órgão responsável pelo monitoramento e previsão de tempo e clima em Santa Catarina. Desempenha desde 1998 as atividades de coordenação e gerenciamento dos sistemas de informações ambientais (recepção, armazenamento e disponibilização de dados e informações), a partir das estações e dos modelos de previsão meteorológicos, hidrológicos e oceanográficos.
O Laboratório de Processamento de Imagens (Lapis) do Instituto de Ciências Atmosféricas (Icat) da Universidade Federal de Alagoas (UFAL) atua desde 2007 em atividades de ensino nas áreas de meteorologia física e sensoriamento remoto. Além das disciplinas ofertadas na graduação e pós-graduação, o LAPIS promove cursos de aperfeiçoamento, treinamento e capacitação de recursos humanos para que seja criada no Brasil uma rede de usuários dos dados do satélite METEOSAT. No que diz respeito às atividades de pesquisa, o Lapis é responsável, em colaboração com a EUMETSAT (European Organisation for the Exploitation of Meteorological Satellites), pela distribuição dos dados e produtos da EUMETSAT no âmbito da EUMETCast no Brasil.