Imagens de satélite mostram fumaça e destruição do incêndio florestal no Norte de SC

A fumaça causada pelo incêndio florestal que atingiu o Norte de Santa Catarina na terça-feira, 13, pôde ser captada por satélite. Kléber Trabaquini, pesquisador da Epagri/Ciram e doutor em sensoriamento remoto, mostra que as imagens de satélite podem ser utilizadas para mensurar a área afetada pelo fogo.

Imagem gerada pelo satélite Sentinel-2 no dia 13 de julho mostra fumaça provocada pelo incêndio.
O incêndio atingiu a vegetação dos Campos do Quiriri, que abrange os municípios de Joinville, Garuva e Campo Alegre. Na manhã da quarta-feira o fogo foi controlado por bombeiros militares e comunitários, mas já havia deixado um rastro de destruição, conforme mostram as imagens.

Kleber explica que as imagens tratadas por ele foram captadas pelo Sentinel-2, um satélite europeu de observação da terra. O Ciram é unidade de pesquisa da Epagri especializada em monitoramento ambiental e vem trabalhando com imagens de satélite para mapear com precisão áreas de cultivo de arroz e maçã em Santa Catarina. Uva e cebola estão na lista das cadeias produtivas a serem mapeadas por sensoriamento remoto pela Epagri/Ciram.

Na esquerda uma imagem de satélite do dia 8 de julho e à direita uma imagem do dia 13 de julho, com a cicatriz de queimada

Informações e entrevistas
Kleber Trabaquini, pesquisador da Epagri/Ciram
(48) 3665-5121 / 99868-7600

Informações para a imprensa
Gisele Dias, jornalista
(48) 3665-5147 / 99989-2992